De cabeça para baixo: uma floresta invertida que ajuda a equilibrar o planeta

Na América do Sul, um bioma pouco conhecido, mas com uma das mais ricas biodiversidades do mundo, contribui para o equilíbrio do planeta com a ajuda de seus habitantes mais antigos: povos e comunidades tradicionais e agricultores familiares.

Conheça

No coração da América do Sul, existe uma floresta invertida com profundas raízes que conectam uma diversidade de frutos, plantas, animais, povos e culturas. Apesar de estar estreitamente ligada ao equilíbrio climático do planeta, poucos conhecem as riquezas deste bioma que está sob ameaças constantes. Metade de sua cobertura vegetal já foi perdida. O que resta da floresta invertida é protegida pelos povos e comunidades tradicionais e agricultores familiares que habitam estas terras com suas ancestralidades e seus modos de vida sustentáveis.

Chamada de Cerrado, a savana brasileira é conhecida como “berço das águas” mesmo que enfrente, todos os anos, seis meses de seca intensa. Das 12 bacias hidrográficas do Brasil, oito nascem nessa região do país. Enfeitado com rochas, chapadas, árvores tortuosas, flores delicadas e perfumadas, cachoeiras gigantes, frutos saborosos e povos que têm muito a ensinar para o resto do mundo, o Cerrado é uma potência ecossocial.

Explore os capítulos dessa história

#1 . Bons frutos

Experiência e riquezas dos povos

#2. Longas raízes

Conexões profundas

#3. Bioma invisível

Ameaças reais

#4. Povos

A sustentação do Cerrado

#5. Colheitas

Caminhos para salvar o Cerrado

Campanha #VotePeloCerrado

Iniciativas

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Etiam vel purus ultrices, dictum odio id, sagittis mi. In at ante eu enim volutpat fringilla id quis lacus. Integer dignissim libero sed ultrices viverra. Sed ut tortor in sapien tincidunt egestas. Morbi gravida vehicula massa eu faucibus. Donec accumsan tempus dolor. Phasellus iaculis laoreet libero sit amet pharetra. Nam eget mauris congue, condimentum nulla eget, pulvinar augue. Pellentesque habitant morbi tristique senectus et netus et malesuada fames ac turpis egestas.

Aenean gravida nunc quis dolor ullamcorper, sit amet consequat libero eleifend. Suspendisse mi massa, sollicitudin non leo id, finibus viverra augue.